Recentemente o Marcelo, companheiro de taças, fez um “bate-e-volta” (1.200 km!!!) até Bento Gonçalves e chegando lá, me ligou perguntando se eu queria alguma coisa. Lógico!! :o)

A cada vinícola que parou, me trouxe alguma coisa e lá se foram Don Laurido, Miolo, Vallontano… Quando chegou aqui além das que eu encomendei, ele me fez uma surpresa e trouxe duas raridades: um Casa Valduga Cabernet Franc 1999 e um Casa Valduga Merlot 2000. Sinceramente nunca tinha ouvido falar desses vinhos.

De qualquer forma ele trouxe dois desses para ele também, e no último sábado resolveu abrir os dele acompanhados de uns queijos. Será que sobreviveram a tanto tempo?

Se tem uma coisa que evoluiu muito no Brasil, além da qualidade dos vinhos é claro, foram as embalagens. Os dois rótulos certamente lembram uma época bem artesanal da Casa Valduga. Talvez usassem esse dourado todo no rótulo para dar um toque mais sofisticado. Atualmente até mantêm em certos aspectos uma lembrança desse passado, como a cor base do rótulo, e só. Ainda bem!

Embalagem ajuda a vender sim, e acho que as pequenas vinícolas que querem conquistar mercado, tem que se preocupar com isso.

Agora sobre o vinho….infelizmente não deu mais pra eles. O Merlot ainda tinha um finalzinho oxidado, mas o CF já estava totalmente oxidado e sem chance.

Se eu vou abrir os meus?
Acho que não. Nesse caso a imagem vale mais.
Olha as belezinhas aí embaixo.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!