expovinis-2009

O título é estranho, mas é assim mesmo que foi para mim – tudo bem rapidinho. Esse ano, por mais que eu tenha me planejado para ir ao maior evento de vinhos do Brasil, mais uma vez não deu tempo de ver tudo. Cheguei atrasado no primeiro dia e nem consegui ir nos outros dias, por causa de compromissos no trabalho.

Mesmo notando que a feira estava pelo menos uns 30% menor que no ano passado, a quantidade de novidades não foi reduzida, pelo contrário, foi enorme. Durante o período que estive lá, experimentei muita coisa boa e outras nem tanto.

Nessa rápida passada pelos stands, os que ficaram na minha memória foram:

  • Saurus Patagônia Select Chadonnay 2006 (KMM) – muito saboroso e equilibrado
  • La Fiammenga Barolo D.O.C.G 2002 (Selecta Vini) – um Barolo por menos de 80,00!
  • Perbruno 2005 (Cantu) – um excelente syrah produzido na Toscana
  • Espumante Brut Branco Pericó (Cave Pericó) – ótimo espumante brut branco de uvas tintas CS/Merlot
  • Cabernet Gran Reserva Villa Lobos 2005 (Casa Valduga) – não está pronto ainda, mas promete.
  • Adega de Pegões Syrah (Wine Company)- Potente e viscoso na taça
  • Andeluna Chardonnay (Grand Cru) – deliciosa e loooonga persistência na boca
  • Château de Pourcieux Rosé – ótimo rosé que preciso provar novamente
  • Château de Fontenille Blanc 2008 – um diferente bordeaux branco, frutado, que lembra um sauvignon blanc do novo mundo
  • Château Prieure Lichine 2001 – impressionante grand cru classé que custa apenas 22 euros lá fora.
De tudo de bom que vi na feira, é lógico que num “tema” como esse, sempre acontecem as gafes como gente tropeçando, falando mais alto do que o normal, etc, mas a situação mais bizarra que aconteceu conosco, foi quando eu e um amigo paramos no stand da Champagne Gardet, no exato momento em que abriam um premier cru. A moça que nos atendeu deu um sorriso largo, explicou tudo sobre a vinícola, pegou duas taças, o champagne, mas antes de servir, perguntou na lata – “Vocês são importadores?”. Eu respondi – “Não, somos consumidores”. Ela imediatamente fechou o sorriso largo e simplesmente colocou o champagne debaixo do balcão novamente, dizendo que estavam servindo apenas a importadores. A situação foi tão constrangedora, que no fim, para aliviar a situação, ela resolveu nos servir algumas gotas (sim, gotas!) do champagne mais básico deles. Deixamos as taças no balcão com as gotas dentro e fomos embora, afinal, esse mundo do vinho é tão grande não?

Mas deixando esse episódio de lado, encontrei muita gente bacana como o Didú com sua câmera portátil na mão, gravando os próximos episódios de seu blog e o também blogueiro e amigo Guilherme (Um papo sobre vinhos), que tive o prazer de conhecer pessoalmente depois de tantos e-mails e papos na madrugada.

No mais, senti falta apenas daquelas bancas com água à vontade que havia em 2008, mas o clima geral da feira estava ótimo e foi muito bom ver o grande stand dos Vinhos do Brasil logo na entrada da feira. Passei rapidamente pela Perini, Cave Amadeu, Lidio Carraro e Cordilheira de Sant´Ana, para experimentar as novidades.

Assim como 2008, um ótimo evento. Agora é só esperar pelo próximo!

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!