Semana passada, eu e Vanessa participamos de uma degustação de grandes vinhos. A convite da Excelência Vinhos, que representa a Mercovino aqui em Campinas, fomos apresentados primeiramente à Canard Duchêne, um vinícola que produz seus champagnes desde 1868 e fica em Ludes, Champagne.

Foram apresentados 4 champagnes, dois de linha básica, sendo um brut e outro rosé, mais dois de linha superior, também brut e rosé, todos de altíssima qualidade. As embalagens são um show à parte – as garrafas vem dentro de latas com revestimento interno de proteção, tão lindas quanto as garrafas. Um show!

Canard Duchene Brut
Cor palha esverdeado, perlage muito fina, aromas de frutas secas, fermento e tostado. Na boca é cremoso, ótima acidez (enche a boca) e final de média persistência. Realmente o melhor custo-benefício.

Canard Duchene Rosé
Cor salmão claro, aromas de frutas vermelhas frescas, na boca a acidez é menor que o primeiro, mas também cremoso, amanteigado e retrogosto de tostado. Delicioso.

Canard Duchene Charles Brut
Cor dourada, brilhante, perlage mais volumosa, média intensidade aromática floral, amêndoas, e tostado. Boa persistência. Complexo do início ao fim.

Canard Duchene Charles Brut Rosé
Cor salmão claro, aromas intensos de fruta vermelha fresca como cereja e framboesa, ótima acidez, untuoso e retrogosto frutado. Inesquecível, realmente o top da noite.

—————————-

Indo da França para a Itália, foram apresentados na sequência aos vinhos da vinícola Rocca di Castagnoli, uma vinícola milenar localizada na Toscana, no coração do Chianti clássico. Trouxeram para nossa alegria, 2 chiantis e 2 super toscanos. Enquanto os vinhos iam chegando, eu e Vanessa ficávamos imaginando o melhor prato para harmonizar. A Itália é tudo de bom.

Chianti Classico Poggio A Frati 2004
(95% Sangiovese e 5% Canaiolo)
Rubi, fruta madura (cereja), canela, café, couro. Média acidez, taninos redondos, pequena aresta de álcool e boa persistência. Para começar bem a noite iria bem com uma ótima pizza.Chianti Classico Tenuta di Capraia Riserva 2003
(85% Sangiovese 5% Colorino 10 % CS)
Rubi intenso, fruta vermelha madura, tabaco, couro, toque mentolado. Ótima acidez, taninos finos, corpo médio e retrogosto tostado. Final longo. Par perfeito com um polpetone.

Buriano di Toscana IGT 2003
(Cabernet Sauvignon)
Rubi escuro, terra molhada, fruta madura em segundo plano, defumado e mentolado. Taninos aveludados, ótima acidez, confunto muito equilibrado e muito persistente. Um vinho de mais estrutura que pede um carne vermelha e harmonizaria perfeitamente com um filé à parmegiana.

Stielle 2000
(80% sangiovese, 20% cabernet sauvignon)
Rubi intenso, aroma muito intenso e complexo de frutas em compota, madeira, pimenta, mais tânico que os demais, retrogosto tostado, ótima estrutura e bom corpo. Sinceramente? beba sozinho – é um vinho de meditação.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!