Toda vez que eu abría minha adega, esse syrah acenava pra mim e pensando agora como é bom, não sei porque demorei tanto para abrí-lo. Talvez por que bebo bem menos syrah do que deveria, mas o fato é que estou revendo isso, ainda mais pelo número de opções que temos à disposição.
Esse vinho é produzido pela bodega argentina Lauri Viana, que já falei por aqui. Sua cor é rubi bem escuro e deixa muitas lágrimas densas na taça. Aromas de ameixa bem madura, adocicada, menta, chocolate e pimenta. Na boca é untuoso, carnudo, também coma fruta madura bem marcada e doce – taninos finos e aveludados. Conjunto equilibrado e persistente. Ótimo vinho.
Paguei cerca de R$ 60,00 na época que era vendido pela Grand Cru. Se alguém souber quem importa agora os vinhos desse produtor, comente aqui.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!