Ultimamente tenho ido a ótimos eventos, mas com pouquíssimo tempo para escrever sobre eles. Mas como não é justo guardar só para mim o que é bom, nos próximos dias falarei de todos os bons eventos e vinhos que provei.

Para começar (de trás para frente), nesta última terça-feira, estive no Grand Tasting, evento promovido pela importadora Grand Cru. O evento aconteceu na Casa da Fazenda, no bairro Morumbi em São Paulo, um local maravilhoso, diga-se de passagem. Na enorme varanda e também dentro do salão principal, os vinhos foram organizados por estações tamáticas como: “Champagne e Espumantes”, “Achados do Novo Mundo”, “As preciosidades de Montalcino”, e por aí foi…mesa após mesa, fomos provando os melhores vinhos do catálogo da importadora.

Em especial, anotei alguns rótulos que gosto muito que já conhecia e outros que tive a felicidade de descobrir. Seja por qualidade acima da média ou por ótimo preço, compartilho com você:

– Gosset Excellence Brut
ótimo champagne – cremoso, complexo e de excelente acidez

– Leyda Lot 5 Chardonnay 2007
um chardonnay barricado, macio na boca, mas sem o excesso de madeira. fruta fresca, acidez na medida e equilíbrado.

– Weinbach Reserve Gewurztraminer 2007
o branco mais marcante do evento. floral e fruta intensa no nariz. acidez deliciosa, aveludado, bom corpo e final adocicado.

– Mediterra  2007 Poggio al Tesouro
um super toscano feito de syrah, merlot e cabernet sauvignon. delicioso corte com o estilo italiano, fresco, frutado, toques de chocolate e tostado. Fácil e pronto para beber.

– Glaetzer Wallace  2006
Um australiano potente mas muito equilibrado, aromas de fruta madura, defumado, taninos vivos, de encher a boca.

– Rosso di Motalcino Talenti 2007
Para mim, o melhor em termos de qualidade x preço dos “rossos” que provei por lá.

– Arrocal  2008
Um  tempranillo 100% típico e muito bem feito, direto de Ribera del Duero. Por 55,00, um achado.

– Medalla Real Sauvignon Blanc
Nada daquele maracujá previsível da maioria. Mineralidade intensa e um aroma intrigante de milho verde.

– Feudo Macari Maharis 2006
Um corte interessante de nero d’avola, cabernet sauvignon e syrah, vindo direto da Sicília, que resultou num vinho único de grande acidez, aromas de fruta vermelha fresca, especiarias, taninos finíssimos e final longo. um vinho especial.

– Outpost Zinfandel 2003
Para fechar um americano 100% zinfandel, de tirar o chapéu. Nem cabe aqui descrevê-lo longamente, um espetáculo.

Daniel Perches, eu e Álvaro Galvão (foto by @camilaperossi)

Por fim, um evento impecável e descontraído, onde encontrei provei vinhos fantásticos, encontrei vários amigos e tive a oportunidade de conhecer tantos outros. Parabéns à Grand Cru em realizar um evento neste nível.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!