O Marquês de Casa Concha é um velho conhecido de muitos no mundo do vinho. É produzido pela Concha y Toro e está numa faixa superior de vinhos, mas pelo que entrega, não é tão caro.

É daqueles vinhos potentes, opulentos, que escoltam com tranquilidade uma boa carne grelhada e foi isso que fizemos nesse domingo, um filé mignon grelhado, acompanhado com palmito pupunha e um molho que a Vanessa preparou à base do próprio vinho e um mix de pimentas, além é claro, de uma colherada generosa de arroz!

É um vinho que merece ser bebido com calma, inclusive se possível, deixá-lo por pelo menos meia-hora num decanter. De cara já se percebe que é jovem, de cor violácea, que até mancha a taça. O álcool aparece no primeiro gole, mas com o passar do tempo vai embora e ficam só os aromas de fruta muita madura, quase geléia de amora, toques de pimenta, canela, cravo, madeira, tostado. Na boca a potência segue em frente, bastante untuoso, saboroso, intenso, final longo e frutado, boa acidez e muitos taninos equilibrando o conjunto.

Outro bom vinho, para se abrir e beber com calma.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!