Essa foi a grande pergunta que ficou desde que esta garrafa chegou às minhas mãos. Mas como ela chegou até mim?

Ano passado, finalmente completei meus 40 anos e desde que eu tinha 39, enfiei na minha cabeça a idéia que eu teria que beber um vinho da minha idade. Ponto final.

Comecei então minha investigação perguntando para amigos sobre vinhos dessa idade. Alguns me indicaram grandes vinhos europeus, mas caríssimos e ainda com a grande probabilidade de estarem ruins. Outros porém me deram caminhos mais plausíveis, como alguns Vinhos do Porto, Vinhos Madeira e até mesmo um Moscatel de Setúbal, famoso por sua grande longevidade. Para você ter idéia do que é a longevidade de alguns vinhos fortificados, nos dia de hoje ainda existe à venda, um vinho de porto de 145 anos de idade! Impressionante.

Mas eis que surge a luz, uma luz que tem nome, meu querido confrade Joao Filipe Clemente. Aproveitei que ele viajaria a Portugal e como quem não quer nada, perguntei se ele não poderia investigar se na “terrinha” acharia algo. Dias depois ele me manda um email dando o ultimato: você pode escolher entre um Vinho do Porto 1970 ou um Moscatel de Setúbal Roxo Superior 1971.

Depois de muito sofrer com a escolha, encomendei o Moscatel de Setúbal Roxo Superior José Maria da Fonseca 1971 e também mudei de idéia: ao invés de abrí-lo em meus 40 anos, resolvi abrir nos 40 anos do vinho!

Alguns meses se passaram e cá estamos em Janeiro de 2011. Logicamente, resolvi abrir na companhia do João, nada mais justo, afinal ele a trouxe com todo cuidado dentro da mala. Só faltou vir na Caravela de Cabral! 😀

Após uma almoço digno de rei na casa do nosso amigo Cristiano, acompanhado outros vinhos portugueses espetaculares que em breve relatarei aqui, fomos pra cima do moscatel para acabar com o suspense. A cor como se vê na foto é avermelhada, turva com os depósitos acumulados pelos anos em garrafa. Assim que tiramos a rolha um intenso aroma tomou conta da sala de jantar – aromas de mel, frutas secas, chá preto, flor de laranjeira. Na boca é ainda mais intenso, doce e de uma acidez impressionante, acidez esta que deixou o conjunto muito equilibrado, pedindo um novo gole.

Foram 500ml do mais puro néctar dos deuses, literalmente.

Ah! Caso queira ver essa raridade, a garrafinha ficou com o João que combinou de deixá-la decorando as plateleiras de sua loja, a Vino & Sapore.

Obrigado João.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!