Neste último final de semana, fiz um bom churrasco com a família e aproveitei a oportunidade, para abrir esse uruguaio guardado na adega há algum tempo. Acho até meio clichê apelar para essas harmonizações clássicas, como essa, de tannat + carne mal passada, mesmo porque nem sempre os vinhos da uva tannat vão tão bem com uma carne mal passada como se pensa. Já passei inclusive por uma experiência em que o vinho era tão tânico, que simplesmente passou por cima da carne, sem dó. De qualquer jeito, estamos nessa vida para experimentar e testar certo?

Os vinhos dessa uva geralmente são considerados mais difíceis, porque não costumam agradar o paladar de todos, como se vê normalmente com a cabernet sauvignon ou malbec. Geralmente o vinho tem muitos taninos, rústicos inclusive e tanto no aroma como no paladar, se percebe um toque diferente de terra. Aqui em casa mesmo, a Vanessa não aprecia muito e já percebi que muitas mulheres resistem à tannat, por esse seu jeitão diferente.

De qualquer forma, abri esse Juan Carrau Tannat 2008, um vinho de linha básica da Bodegas Carrau, tradicional vinícola uruguaia, que produz vinhos desde 1752 e tive uma baita surpresa! Um tannat com toda tipicidade, mas de cor clara, corpo leve, aromas de fruta vermelha fresca, taninos presentes como manda a uva, mas não tão rústicos como eu esperava, mais domados e macios, acidez mais baixa e muito fácil de beber. Por ter um conjunto bem equilibrado, o vinho foi muito bem com a carne do churrasco.

Enfim, uma ótima opção de tannat para você que ainda resiste, mas quer explorar novos sabores.

 

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!