Não gosto muito de ficar pontuando vinhos aqui, porque acredito mais na experiência com o vinho, o momento que foi bebido e vivido. De qualquer forma, se eu fosse potuar esse vin santo daria a ele nota máxima. É produzido por Pietro Beconcini.

Já é a terceira vez que tenho a felicidade de prová-lo e em todas as oportunidades, que foram em locais e com pessoas bem diferentes, sempre me veio a mesma impressão: um vinho inesquecível, daqueles que você prova e não precisa de mais nenhum outro na sequência.

Começando pela cor, é denso de cor alaranjada, quase vermelha mostrando os sinais da idade. Aromas de frutas caramelizadas, mel de laranjeira, chá preto. Na boca o chá insiste em aparecer, doçura perfeita, sem enjoar, acidez excelente e um final logo, muito longo.

Um grande prazer provar esse vinho e foram produzidas apenas 1.500 garrafas.

O Beto Duarte também falou aqui mais um pouco desse valioso néctar, com mais alguns detalhes da produção. Vale a pena ler.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!