A convite da importadora Ravin, fui conhecer os vinhos da Valdivieso, vinícola chilena de mais de 130 anos de idade e uma das primeiras produtoras de espumantes do Chile. Mas não é dos espumantes que vem sua fama aqui no Brasil e sim pelo seu vinho ícone, o Caballo Loco.

Com vinhedos em várias partes do país como Vale do Maipo, Conchagua e Curicó, é uma das vinicolas mais prestigiadas do Chile e atualmente seus vinhos são feitos pelas mãos do enólogo Eugênio Ponce, que nos fez a apresentação.

 valdivieso

Valdivieso Gran Reserva Viognier 2010

Esse viognier passa 6 meses em barrica o que lhe confere certa complexidade. Aromas de lichia, pêra e um floral intenso. Na boca é fresco, muita fruta cítrica, boa acidez e final curto.

Valdivieso Gran Reserva Carmenère 2009

Esse carmenère realmente surpreendeu. Boa complexidade aromática com toques de couro, pimenta, mentolado, fruta vermelha fresca e na boca ótima acidez, persistência, taninos finos e final tostado. Incríveis 15% de álcool que não aparecem.

Valdivieso Gran Reserva Cabernet Franc 2009

O mais refinado do painel. Aromas sutis de couro, terra molhada, fruta negra, taninos bem presentes, acidez excelente e final tostado. Um vinho muito gastronômico.

Valdivieso Éclat 2007

Um corte de 65% de carignan, 20% mouvèdre e 15% de syrah. Assim como o top da linha, o Caballo Loco, é um vinho para se beber com atenção, colocá-lo no decanter, sem pressa. Muitas nuances no nariz como pimenta preta, resina, mentolado, café e chocolate. Taninos muito finos, fruta vermelha com uma ponta adocicada, final médio.

Caballo Loco N.o 12

O top da linha, famoso pelo seus corte feito sempre de uvas diferentes e ainda com uma parcela da safra anterior, o N.o 12 tem um corte de Cabernet Sauvignon, Malbec, Carmenère e Merlot e logicamente não sabemos o percentual. Diferente dos demais, tem acidez mais moderada, de taninos redondos e muito equilibrado. Entrega muita fruta vermelha madura, com toques de café, mentolado, chocolate e final bem longo. Não é famoso por acaso.

De forma geral todos os vinhos seguem um estilo mais elegante, sem aquela concentração exagerada da fruta, resultando em vinhos de cor de média intensidade, bastante aromáticos, complexos e gastronômicos. Um chileno no melhor estilo velho mundo.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!