Esse foi outro vinho feito pelo Pietro Beconcini que bebi na casa do Daniel Perches.

Um vinho que foi feito com todo cuidado, passou por 24 meses em barrica eslovena e depois descansou por mais 18 meses em garrafa.  Imagine só você deixar seu produto descansando por 2 anos e meio antes de comercializá-lo? Essa é aquela velha e desejada paciência que o mundo do vinho tem (ou deveria ter).

Mas esse sanviovese é daqueles puro sangue. Muita fruta vermelha fresca, couro, tabaco, taninos em grande quantidade e aquela acidez deliciosa que confere aquela alegria ao vinho.

Me lembrou um rosso di motalcino. Muito bom.

 

 

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!