Bebo muito pouco vinho uruguaio, confesso.

Talvez seja uma questão de hábito, já que no Brasil ainda haja pouca oferta, o que gera pouca demanda, que gera pouca oferta e por aí vai. E são bons vinhos! Aqui em Campinas, um dos primeiros vinhos uruguaios que provei, foi justamente desta vinícola, a Marichal, um pinot noir, que na época, achei muito interessante. Durou pouco. A importadora que o trazia, fechou e acabei ficando órfão.

O tempo passou rápido e por fim, acabei reencontrando esses vinhos, num evento promovido pela Ravin, importadora que está trazendo esses vinhos ao Brasil novamente. Ótima notícia.

Juan Andrés Marichal, Daniel Perches e eu

Foi um encontro bem rápido, em que o enólogo Juan Andrés Marichal, que pertence à quarta geração da família, nos apresentou com muita simpatia e atenção seus novos filhotes:

Marichal Reserve Collection Pinot Noir Blanc de Noir Chardonnay 2010

Nome grande, vinho intrigante. Basicamente é um vinho que no nariz parece um pinot noir, lembrando frutas vermelhas frescas, mas na boca a maciez da chardonnay e a ótima acidez, conferem um frescor e equilíbrio ao vinho. É aquele vinho alegre, de cor alaranjada atraente, para servir com entradas, petiscos e um bom papo, sem pressa.  R$ 55,00

Marichal Reserve Collection Pinot Noir-Tannat 2008

Outro corte curioso. Pinot com Tannat? Essa ousadia do enólogo, permitiu nos oferecer um vinho que faz pensar. Cor rubi clara, aromas de frutas negras, terroso e um toque herbáceo e na boca é mais surpreendente: ao beber, a leveza do vinho nos faz pensar que é um pinot noir, mas o final de boca entrega a rusticidade da tannat, mas nem por isso agressivo e sim, taninos finos e elegantes.  R$ 55,00

Marichal Reserve Collection Tannat 2009

Um tannat para quem precisa perde o preconceito que tannat é sempre um vinho duro, agressivo. Esse é leve, pouca concentração da fruta, bem fresco, taninos levemente rústicos. A tannat está alí, mas domada. R$ 55,00

Marichal Grand Reserve Tannat 2005

O top de linha da vinícola. Muito complexo no nariz com fruta vermelha fresca, terra molhada, tostado, chocolate e um toque mentolado. Muito macio e elegante na boca, taninos bem presentes, final longo e mito equilibrado. Belo vinho. R$ 139,00

Os uruguaios aqui no Brasil são poucos e bons, mas sinceramente, a Marichal faz melhor, pois faz vinhos diferenciados.

Gostei.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!