Não mais que 30 minutos é o tempo para ir do centro de Montevidéu à Bodega Pizzorno.

Como não queríamos desapontar nosso amigo Carlos Pizzorno, enólogo e proprietário da vinícola que marcou conosco às 09:00hs da manhã, tratamos de acordar cedo e pôr o pé na estrada.

Chegamos na hora marcada e encontramos Carlos Pizzorno logo na entrada da vinícola a nossa espera. Muito simpático e disposto, nos recebeu com aquele sorriso largo no rosto.

Sem perder tempo, ele nos levou direto aos vinhedos. Enquanto caminhávamos entre as videiras, ele nos falou um pouco sobre os detalhes da produção e do mercado do vinhos no Uruguai.

Segundo Carlos, a produção total de vinhos no Uruguai é feita por apenas 280 vinícolas e desse total, apenas 30% produzem vinhos finos. Vinhos de garrafão ainda são a grande maioria, só que diferente do Brasil em que se produzem vinhos de mesa com uvas americanas, no Uruguai, os vinhos de garrafão são feitos com uvas viníferas, como a Moscato.

Todas essas 280 vinícolas produzem todo ano 100 milhões de litros de vinhos finos. Parece muito, mas não é. Para se ter uma comparação, isso representa só a metade do que a chilena Concha y Toro produz no mesmo período. Assim como no Brasil, eles ainda estão no começo de uma longa estrada.

O clima por lá também é difícil como no Brasil. As chuvas caem bem na época de maturação das uvas. Mesmo assim, ele disse que a uva Tannat se adaptou bem a esse clima, visto o sucesso que fez mundo à fora.

Depois de passearmos pelos vinhedos, eles nos mostrou as instalações da vinícola. Para vinificar, ele usa grandes tanques de concreto revestidos de resina epóxi e também os modernos tanques de inox. Na cave, usa barricas de carvalho americano e francês. Espumantes, só pelo método champenoise. Atualmente a Pizzorno produz 150.000 litros de vinho/ano.

Terminado o giro pela vinícola, sentamos à mesa com ele para provar alguns de seus vinhos e continuar a ótima conversa.

Don Próspero Sauvignon Blanc 2011
Um vinho de cor palha esverdeado, aromas de frutas cítricas como maçã verde, lima e na boca, acidez equilibrada e corpo leve.

Pizzorno Sauvignon Blanc Reserva 2011
É uma mescla de 30% de sauvignon blanc fermentado por 2 meses em barrica em carvalho novo, com o restante fermentado em inox. Mais untuoso que o primeiro, mas ainda delicado. O aroma amanteigado e de baunilha vindo do estágio em barrica, não encobre a fruta. Muito interessante. Gostei bastante.

Don Próspero Pinot Noir 2011
Conheci a Pizzorno por esse pinot. Um pinot noir honesto, de bom preço e com toda tipicidade que se espera desse varietal. Fruta vermelha fresca, boa acidez, aromas terrosos e couro.

Don Próspero Tannat 2010
Taninos finos, doces, polidos, muita fruta negra (ameixa), equilibrado. Um tannat corretíssimo para você se convencer que ainda não tinha bebido um bom tannat.

Don Próspero Tannat/Mabec  2011
Outro tannat com um corte inusitado de Malbec. Muito fresco na boca, fruta adocicada e um toque de couro. Taninos mais firmes e presentes que o tannat acima.

Pizzorno Tannat Reserva 2008
Esse tannat 100% passa 12 mesesem barricas de carvalho americano e depois mais 18 meses em garrafa descansando antes de ir para as lojas. Muita estrutura, taninos presentes e firmes, final longo de tostado e chocolate. Belíssimo tannat.

Pizzorno Primo 2006
O top de linha. Um blend complexo de Tannat, Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot. Aromas de ameixa, framboesa, especiarias, chocolate, couro, madeira. Um vinho vem de cor violácea escura. Na boca ótima acidez, bom corpo e final muito longo. Um vinho para se decantar e beber com calma com os amigos,  acompanhando sua evolução na taça.

Espumante Pizzorno Brut
Para fechar a degustação, um espumante brut, leve e de ótima acidez, feito do corte de chardonnay e salvignon blanc.

Passamos três ótimas horas conversando e aprendendo muito sobre vinho e nem vimos o tempo passar. Como o tempo passa rápido quando fazemos o que gostamos não?

Na Pizzorno também não há hotel nem restaurante, mas caso queira conhecer o grande Carlos Pizzorno e seus vinhos, basta entrar no site da bodega e agendar com antecedência. Ele terá um grande prazer em receber os apaixonados pelo vinho.

Mais imagens da Bodega Pizzorno:

[epa-album id=”7301″ show_title=”false” display=”full”]

>> Veja aqui o roteiro completo desta viagem ao Uruguai

 

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!