Esse vinho foi para mim uma das grandes surpresas do ano.

Um dia fui almoçar na casa do Daniel Perches e ele me apareceu com esse merlot. Ficamos naquela desconfiança não pelo produtor é claro, já que o Zuccardi se garante, mas pelo ano do vinho. Nunca havíamos provado um vinho argentino tão velho. Será que ainda estaria vivo?

Como ninguém tinha nada a perder, resolvemos abrir para tirar a prova.

Assim que a rolha saiu meus amigos, a verdade apareceu. Um vinho de linda cor atijolada, aromas deliciosos e intensos de chocolate amargo, couro, balsâmico e a fruta vermelha em compota que insistia em aparecer. No primeiro gole é que veio a maior surpresa. Muita acidez, muitos taninos vivos e firmes, bom corpo e final longo.

Um vinho de mais de 10 anos ainda intacto. Como é bom provar vinhos evoluídos.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!