Já bebeu champagne no café da manhã? Se não viveu essa experiência, permita-se pelo menos uma vez na vida esse pequeno luxo. Você vai se sentir vingado.

Vivi isso rodeado de amigos recentemente no Rio de Janeiro, mais precisamente no La Bicyclette, uma padaria no mais autêntico estilo francês, que fica ao lado do Jardim Botânico. Toda vez que vou ao Rio, preciso tomar uma café da manhã lá. Desta vez, embalado pela ocasião de ter dois amigos completando 40 anos, um deles resolveu levar uma champagne para abrir o dia, o Tsarine Brut Rosé.

Champagne Tsarine Brut Rosé impressiona de cara por sua garrafa diferenciada. Segundo o produtor, seu desenho foi inspirado nos telhados das igrejas de São Petersburgo e é daquelas que provocam amor ou ódio. Independente da garrafa, o champagne é bom. Tem uma encantadora cor salmão, bolhas finas, aromas de fermento, frutas vermelhas frescas e no paladar também é frutada, tem boa acidez, cremosidade e persistência. Uma beleza!

Se uma das funções do vinho é reunir as pessoas, esse champagne cumpriu a tarefa. Uma boa conversa com os amigos, bebendo um bom champagne com pão e geléia de morango, com certeza é uma das receitas da felicidade.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!