O mundo já entendeu faz muito tempo que tudo que se faz organizadamente em um grupo com interesses em comum, dá muito mais resultado. O trabalho colaborativo se multiplica e leva mais longe.

Nesse sentido, várias instituições foram criadas para representar vinho de uma determinada região do mundo e temos assistido no Brasil, uma verdadeira invasão no de feiras realizadas por institutos, onde podemos aprender, provar e nos aprofundar sobre o tema.

grandi-marchi-mapa

O Istituto del Vino Italiano di Qualità Grandi Marchi é exatamente isso, uma entidade que representa um grupo de produtores tradicionais na Itália, com vinhos já presentes no Brasil, que tem a função de divulgar além da qualidade, mas a identidade do vinho italiano em suas diversas regiões.

Nesta semana o Grandi Marchi promoveu em São Paulo mais um evento com esta finalidade. Uma feira de vinhos no belo Hotel Unique e um evento paralelo de degustação guiada para os profissionais do setor. A degustação foi conduzida e comentada por Jorge Lucki, um dia mais pretigiados críticos brasileiros.

grandi-marchi-mapa-logo

Tive o prazer de participar da degustação onde foram apresentadas verdadeiras joias italianas. Mais do que os vinhos em si, o contexto da apresentação foi sensacional pois nos proporcionou um verdadeiro passeio por todas as principais regiões da Itália. Uma verdadeira aula.

Foram 11 grandes vinhos, cada um representando dignamente a região onde foi feito. Uma coleção de vinhos que representam a nata da vinicultura italiana e que em breve, quero ter em minha adega.

Vamos aos vinhos:

1868 Brut Prosecco Superiore DOCG
Produtor: Carpenè Malvotti
Região do Vêneto
Importado por: Franco Suissa

Cabe aqui uma informação importante: “prosecco” deste 2010 é uma marca registrada italiana. Esse registro foi concedido finalmente pela existência de uma cidade italiana de mesmo nome. Sendo assim, ninguém mais pode usar essa denominação prosecco num espumante fora dessa região, assim como o champagne.

Um espumante tem cor palha esverdeado e aromas diretos de fruta branca como melão. Na boca é bem seco, cremoso ótima acidez. Um prosecco com denominação superior (DOCG) muito elegante.

Tascante 2008
Produtor: Tasca d’Almerita
Região da Sicília
Importado por: Mistral

Feito 100% de uva nerello mascalese. É uma uva de difícil cultivo, taninos muito duros e que demanda maturação bem mais longa. Essas condições mais apropriadas são encontradas na região perto do vulcão Etna, por isso essa é a região produtora mais famosa da Sicília. O resultado se percebe em vinhos vinhos frescos e delicados, lembrando os vinhos da uva pinot noir.
O Tascante tem cor rubi transparente com as bordas alaranjadas, aromas de cereja fresca, terra molhada e muito mineral. Na boca é elegante, leve, bem seco, taninos firmes e em grande quantidade.

Il Falcone Castel del Monte Riserva DOC 2007
Produtor: Rivera
Região da Puglia
Importado por D’Olivino

Feito de nero de troia e montepulciano. Aromas marcante de couro, fruta vermelha mais madura e na boca seus taninos parecem mais rústicos. Mesmo assim, é um vinho simples e fácil de beber.

Pelago Marche Rosso IGT 2008
Produtor: Umani Ronchi
Região de Abruzzo
Importado por Expand (R$ 248)

Feito das uvas cabernet sauvignon, montepulciano e merlot. Um vinho de cor púrpura, muito jovem. Aromas de fruta vermelha bem madura, café e baunilha. Muito macio, aveludado, levemente adocicado, final tostado.

Guado Al Tasso2009
Produtor: Machesi Antinori
Região da Toscana
Importado por: Wine Brands

Feito das uvas cabernet sauvignon, merlot, cabernet franc e petit verdot, o autêntico corte bordalês. Complexo e intenso no aroma com muita fruta vermelha, café, balsâmico, especiarias. Na boca apresenta bom corpo, acidez integrada mas picante, muito equilibrado, taninos finos e final muito longo. Fala desse vinho é chover no molhado. Para mim, a perfeição.

Baia Al Vento Bolgueri Superiore 2008
Produtor: Ambrosio e Giovanni Folonari
Região da Toscana
Importado por: Cantu

Uvas merlot, cabernet franc e petit verdot. Aroma mentolado acentuado, cereja fresca e notas de cravo. Muitos taninos, otima acidez e final café torrado. Um vinho muito potente mas equilibrado.

Grandarella 2007
Produtor: Masi
Região do Vêneto
Importado por: Mistral

Feito das uvas refosco e carmenère. Esse foi um dos vinhos mais inusitados do painel. É feito como os amarones, pelo processo de passificação das uvas. Nariz complexo de frutas vermelhas maduras, ervas aromáticas e caramelo. Em boca repete as ervas, cereja fresca, taninos finos otima acidez final muito longo. Um vinho que provoca os sentidos e vale a pena provar.

Cerequio Barolo DOCG 2007
Produtor: Michele Chiarlo
Região do Piemonte
Importado por: Zahil

Feito 100% da uva nebbiolo. Aromas de fruta vermelha madura, marasquino, mentolado e terra molhada. Acidez bem acentada típica, taninos firmes, corpo médio e muito elegante

Pio Cesare Barolo 2007
Produtor: Pio Cesare
Região do Piemonte
Importado por: Decanter

Feito 100% da uva nebbiolo. Aromas de frutas vermelhas frescas e um toque encantador de rosas. Na boca os taninos estão duros ainda, acidez equilibrada e muito longo. Um vinho de no mínimo por 10 anos de guarda.

Radici Tausasi Riserva DOCG 2006
Produtor: Mastroberardino
Região da Campânia – Sul da Itália
Importado por: Mistral

Esse vinho é feito na difícil região onde fica o Vesúvio, um dos maiores vulcões do mundo em atividade. O nome do vinho, “Radici” quer dizer raízes e foi inspirado no compromisso da família em ficar na região e manter suas raizes, mesmo com um vulcão em plena atividade.

Feito da uva Aglianico. Aromas complexos de fruta vermelha madura, tabaco, especiarias, balsâmico. No paladar tem muito taninos, corpo médio, levemente adocicado. Um vinho potente, mas sua ótima acidez o torna elegante.

Ben Ryè
Produtor: Donnafugata
Região da Sicilia
Importado por: World Wine

Feito 100% da uva Zibibbo (muscat de alexandria).

A grande estrela do dia. Já provei esse tradicional vinho de sobremesa italiano, o passito de panteleria, mas como esse, nunca. Começa pela cor hipnótica: cor dourada, âmbar.
gm12 Aroma muito intenso de açúcar marcavo, pêssego, laranja cristalizada e mel. O vinho tem a textura viscosa do mel e a doçura elegante e equilibrada. Segundo Jorge Lucki (tenho que concordar com ele), este é o melhor passito da Itália.

Para os apaixonados pelos vinhos italianos como eu, essa é a adega dos sonhos.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!