No último dia 27/06 participei do Grand Tasting, uma grande feira de vinhos promovido pela Wines of Argentina e coordenado pelo amigo André Rossi, representante da instituição aqui no Brasil.

Foram 44 vinícolas argentinas apresentando vinhos de todas as regiões importantes, deste que é atualmente, um dos países mais importantes na produção de vinhos finos no mundo. A fama de seus vinhos potentes e concentrados e a foça de sua uva ícone, a malbec, derrubaram fronteiras e conquistaram os paladares pelo mundo afora.

unique-wofa

Pelo grande salão do Hotel Unique, estavam à disposição dos visitantes os grandes (e caros) vinhos argentinos de alta gama, mas também os básicos e baratos, não menos interessantes. Isso fez toda diferença. Ir numa feira de vinhos só para provar os “tops de linha” é uma grande bobagem, porque com certeza você perderá a chance de descobrir verdadeiras barganhas. Sempre se acha ótimos vinhos a preços camaradas. Ou você só bebe vinho top todo dia?

Além do ótimo nível do evento, gente boa e interessada e atendimento mais que atencioso nas mesas das bodegas, participei de uma experiência muito interessante, o Wine Walk.

Wine Walk é uma atividade paralela ao evento, onde um enólogo leva algumas pessoas previamente inscritas, por um passeio pela feira de forma guiada. Me lembrou as primeiras feiras que fui com meu guia predileto, o João Filipe Clemente. Muito conhecimento e um faro fino para descobrir barganhas. É muito mais divertido participar de uma feira guiada por um “padrinho”.

tomashugues

No Wine Walk é mais ou menos assim, só que você escolhe um tema específico. Eu escolhi o tema: “Brancos Argentinos” e nosso guia foi o enólogo da Bodega Trapiche, Tomás Hugues. Com 6 vinhos escolhidos previamente pelo enólgo e taças a postos, fizemos um verdadeiro passeio pelas regiões argentinas onde se produzem vinhos brancos muito interessantes. De mesa em mesa ele nos detalhou as características da região e falou um pouco sobre os vinhos.

Foi um trajeto rápido (cerca de meia-hora) e extremamente didático, onde se pode perceber na prática a diferença do terroir nos vinhos. Uma bela experiência!

Abaixo seguem os vinhos que provei e as regiões por onde andei durante o Wine Walk.

Ampakama Viognier (Região de San Juan)
Fruta citrica marcada, bem seco e fresco

Penedo Borges Chardonnay (Região de Mendoza)
Tostado, muita fruta tropical (abacaxi e pêssego). Paladar macio, amanteigado, cítrico, boa acidez e leve doçura.

Elsa Bianchi Torrontes (Região de San Rafael)
Um torrontés mais frutado com notas de pessego, floral típico e final de boca levemente doce.

Amado Sur branco (Mendoza Vale de Uco)
Um corte diferente de torrontes chardonnay viognier. Muito mineral, notas de borracha e a fruta fruta branca. Em boca tem ótima acidez, fruta citrica e muito mineral.

Broquel Torrontés (Região de Salta)
Um torrontes com 5% sauvignon blanc. Gostei bastante. Aroma muito floral e fruta cítrica. Paladar com ótima acidez, bom corpo e equilibrio.

Tukma Grand Torrontes (Região de Salta)
Citrico e com notas de tostado. Na boca é macio, leve amanteigado e boa acidez.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!