Estive ontem no evento promovido pela World Wine, chamado World Wine Experience Península Ibérica, um evento de poucos e seletos produtores apenas de Portugal e Espanha.

Achei muito bacana a iniciativa da importadora de fazer um evento focado apenas em duas regiões, que tem tantas surpresas boas e ainda não são plenamente exploradas pelo brasileiros.

Neste evento são apenas 16 produtores expondo seus vinhos magníficos. Alguns vinhos que provei eu compartilho aqui com você.

ESPANHA

DINASTIA VIVANCO
Direto da região da Rioja, esse produtor também é conhecido pelos seus ótimos vinhos e o design inconfundível de suas garrafas. Provei o Collecion Vivanco 4 Varietales, um corte moderno de aromas perfumado e paladar macio com bastante estrutura e também esse mesmo só que de colheita tardia, doçura equilibrada, boa acidez e notas de cereja e tabaco.

MARQUÊS DE MURRIETA
Sou suspeito me falar desse produtor que gosto tanto. Tenho certeza que depois que você provar um gole do Castillo Ygay Gran Reserva, você entenderá o motivo. Além desse que provei novamente e continua espetacular, provei também o top de linha Dalmau Reserva, mais potente com estilo mais moderno e encorpado e o surpreendente Capellania Blanco Reserva, um vinho branco feito da uva albarinho, que é colocado à venda já com alguns anos de envelhecimento. Uma experiência única.

BODEGAS PONCE
Bodega que fica na DO Manchuela, é uma pequena bodega familiar especalizada em vinhos feitos da uva Bobal, típica de lá. Todos os vinhos são feitos com base na cultura biodinâmica. Um vinho deles, o La Casilla, o mais simples, me chamou a atenção pela tipicidade dessa uva que é bem rara por aqui. Vale a pena provar.

PORTUGAL

CARM
Famosos não só pelos vinhos, mas também pelos azeites, essa vinícola do Dourou entrega muita qualidade e vinhos especiais como sua linha chamada CARM SO2 Free. Em especial o vinho branco desta linha te fará pensar por alguns minutos.

QUINTA DA FALORCA
Os vinhos do Dão sempre e pareceram que tem a alma do vinho português. Muita acidez amparada por taninos em grande quantidade, que resultam em vinho longevos, quase imortais. Um deles que provei desta vinícola expressa bem isso, o Quinta da Falorca Encruzado, um vinho branco de uva tradicional portuguesa que tem essa personalidade marcante – acidez rasgante e notas cítricas intensas no aroma e no paladar.

WIESE & KROHN
Pare tudo o que estiver fazendo e prove um gole do Porto Krohn Colheita 1990 e do Porto Krohn Colheita 2007. Difícil sair de lá pensando seriamente em comprar essas garrafas.

QUER SABER MAIS? DEIXE AQUI SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO!